Oportunidades e Desafios para Aproveitar a Retomada das Atividades a partir do Segundo Semestre

Matheus Cônsoli, lançam artigo com o tema "Oportunidades e Desafios para Aproveitar a Retomada das Atividades a partir do Segundo Semestre". Leia e acompanhe as principais notícias do mundo Agro!

Ainda é cedo para traçarmos quando e como a pandemia irá acabar, ao menos em termos dos seus impactos socioeconômicos. Entretanto, o avanço da vacinação, a abertura de mercados, fluxo pessoas e retomada econômica global, com estimativas positivas para o Brasil ainda em 2021 trazem perspectivas positivas para os negócios no segundo semestre desse ano.

Apesar de termos passado no mercado agro com implicações e desafios relativamente menores do que outros setores da economia, inclusive crescendo em termos de produção e exportação em muitas cadeias produtivas, o retorno de atividades “tradicionais”, interações e redução do distanciamento também será de valia para as empresas envolvidas na distribuição de insumos.

Pelo fato de se caracterizar como serviços essenciais, as atividades dessas empresas, seja no mercado agrícola, seja no varejo agropecuário, não sofreram restrições legais, mas muitos produtores deixaram de visitar revendas e/ou reduziram suas idas, bem como o recebimento e interação com equipes de vendas e profissionais técnicos nesse período de pandemia.

Com isso, o retorno gradual das atividades que parece bem provável no segundo semestre e as boas perspectivas para o crescimento econômico deve entrar na agenda estratégica das empresas do setor, que podem se organizar para se posicionar e aproveitar esse momento. Ademais, estaremos exatamente entrando em épocas de plantio e início de operações da safra de grãos nas principais regiões produtoras do Brasil. Dessa forma, alguns temas podem ser considerados desde já na agenda dos distribuidores e do varejo agropecuário:

  • Reforçar comunicação com clientes e incentivar visitação às lojas (respeitando naturalmente os protocolos de segurança vigentes), com promoções direcionadas e mesmo eventos de pequeno porte;
  • Organizar com as equipes de vendas de campo uma priorização efetiva para maximizar interações e visitas a clientes que já estejam aceitando e mesmo solicitando essas atividades. Preparar abordagem e soluções integradas, agregando ofertas de produtos e serviços nessa retomada para ganhar participação e alavancar novas oportunidades de negócios;
  • Para equipe de vendas de balcão, reforçar proatividade em contatos por telefone, WhatsApp e redes sociais para divulgar oportunidades e convidar clientes para novas interações, principalmente no varejo agropecuário;
  • Estruturar e implementar atividades de geração de demanda, comparativos técnicos, eventos e interações com clientes, dentro das questões permitidas em cada localidade;
  • Manter, e mesmo ampliar atividades que foram digitalizadas nesse período. Sim! Elas devem permanecer, pois muitos clientes passaram a gostar e valorizar e muitas empresas aprenderam e reduziram custos com isso. O futura será mais em integrar o tradicional/presencial, com o digital/ a distância. E isso no retorno a atividades trará uma maior complexidade e necessidade de organização e planejamento.

Esses são apenas alguns exemplos de ações e posicionamento que as empresas de distribuição de insumos devem considerar e colocar em prática. Ressalto novamente a importância da retomada, mas sempre garantindo a segurança de clientes e equipes, com manutenção dos protocolos já estabelecidos!

Mas de fato, a expectativa de retorno ao “normal” e a integração de ações e estratégias pode fazer com que empresas mais preparadas e estruturadas possam capturar mais negócios ainda na safra de verão 2021/22 e entrarem ainda mais ativas nos negócios do ciclo de inverno 2022, bem como nas oportunidades também da pecuária nesse próximo ciclo de negócios.

Independente dessa retomada e oportunidades de crescimento de curto prazo, todos devem manter ainda um olhar estratégico para outros temas, tais como mudanças macroeconômicas, andamento (ou não) das reformas, principalmente a administrativa e tributária, e termos em mente que as retomadas em outros países e as dinâmicas de mercado trarão oportunidades e desafios para os agentes nas principais cadeias do agro brasileiro. Assim esperamos uma curva de melhoria e se Deus nos permitir, um 2022 já bem distante da realidade atual da pandemia Covid-19. Boa sorte e ótimo trabalho a todos!

Outras Publicações