O Início do Ciclo Verão e as Atividades Chave para as Revendas

Matheus Alberto Cônsoli lança o artigo "O Início do Ciclo Verão e as Atividades Chave para as Revendas" e fala um pouco mais sobre como a estação permite que atividades e serviços prestados dos distribuidores pode ganhar relevância.

Com o início do ciclo de verão se aproximando, aumenta consideravelmente as atividades técnicas e trabalhos de campo das equipes dos distribuidores de insumos. Considerando a “jornada do produtor”, esse período inicial do ciclo marca o fim da etapa de planejamento e início do pré-plantio e plantio em sai em muitas das regiões produtores do Brasil, principalmente para a soja.

Nesse momento é que o produtor toma as decisões finais de tratamentos e recomendações que irá seguir e começa a organizar as operações para a fase de plantio. Vale ressaltar que em muitas regiões, o processo de compras do produtor já foi realizado, se não na sua totalidade, ao menos em parte e uma parcela considerável do mercado “já rodou”, no jargão das revendas.

Mas enquanto o produtor inicia suas operações, uma série de atividades e serviços prestados pelas equipes técnicas e comerciais dos distribuidores ganha relevância e podem garantir a diferenciação e relacionamento de negócios.

Por exemplo, enquanto o produtor se prepara para plantio, algumas atividades que ele realiza pode incluir análises de solo, dessecação e preparo de solo, manutenção e regulagem de máquinas, correção de fertilidade e calagem, além de receber e armazenar alguns insumos necessários para essa fase do cultivo.

Quando se prepara de fato o início das operações para o plantio, atividades de conservação de solo, tratamento de sementes, preparação de equipamentos e treinamento das equipes, dentre outras atividades são realizadas até que seja efetivado o plantio.

Veja que o rol de atividades que o produtor executa nesse processo é ampla e demanda uma série de conhecimentos técnicos, apoio de outros profissionais e abre uma oportunidade para que os distribuidores de fato possam prestar serviços de qualidade que garantam as melhores operações e maior efetividade no apoio e execução do plantio. Naturalmente novas oportunidades de vendas, complemento de produtos, novas compras e repiques surgirão a partir desse momento e os profissionais e empresas que estiverem mais próximos, atuantes e com diferenciais de serviços e relacionamento tendem a ser mais beneficiados na escolha dos produtores.

É aqui que muitas equipes carecem de organização e planejamento. Coloco algumas questões para que possam refletir e se preparar:

 

  • Quais os clientes prioritários que a equipe deve focar suas atividades?
  • Quais clientes desses clientes tem maior demanda por acompanhamento técnico e apoio para execução do plantio?
  • Qual agenda de vistas e planejamento de plantio dos clientes para que a equipe possa se organizar?
  • Como os parceiros fornecedores podem apoiar essas atividades?
  • Quais oportunidades de serviços e negócios estão mapeadas para cada cliente?
  • Como estão os resultados em termos de metas x negócios já realizados? O que ainda é possível realizar nesse ciclo?

Assim, o início do ciclo de verão marca o começo das atividades operacionais do negócio do produtor e onde as demandas por presença, assistência e solução de problemas tende aumentar. Muitos profissionais de vendas, por já terem realizado seus negócios podem se afastar, mas é aqui que as oportunidades de relacionamento técnico-comercial serão provadas e efetivadas.

Por fim, ressalto que muitas equipes acabam destinando muito tempo para “entregas” nesse momento, e deixam de lado as atividades técnicas e de suporte aos clientes. Pensem nisso, se organizem e bons negócios!

Outras Publicações