A Importância da Estrutura Organizacional de Uma Empresa

Luciano Thomé e Castro, professor da FEARP-USP de Ribeirão e sócio da Markestrat, descreve neste artigo a importância da Estrutura Organizacional dentro de uma empresa.

Neste primeiro semestre de 2015 dentro de algumas semanas começo mais uma vez a disciplina Estrutura Organizacional na USP em Ribeirão Preto/SP. Sendo um tema já tradicional em gestão, o que poderia nos levar a pensar, “o que mais podemos aprender ou ensinar?” É incrível perceber como existe ainda pouco entendimento da importância do tema por organizações de diferentes portes e setores, oportunidades de melhorias e experiências novas acontecendo no mundo organizacional que vivencio nas interações com empresas em projetos de consultoria e nos processos de mudança organizacional  tão intensos que participo.

A Estrutura Organizacional tem no Organograma uma representação gráfica do que ela é. E Estrutura é maior do que o Organograma em significado porque ela contém as descrições das funções, os processos formais e informais de comunicação, os grupos informais e as alçadas de responsabilidade, a dinâmica de tomada de decisão de uma empresa. Por que ela é fundamental? Ela, se bem feita, deixa claro a responsabilidade sobre as funções, tanto a execução como a supervisão e, mais do que isso, ela pressupõe uma divisão inteligente do trabalho, agrupando aqueles que mais apresentam interdependências nas suas atividades diárias e, balanceando os benefícios da especialização de funções eficientes com foco interno com a necessidade de  foco em segmentos de clientes ou produtos que a organização precisa atender com excelência.  Finalmente, a estrutura é um elemento da governança, porque enxergamos gestores respondendo a conselhos.

Não é exagero dizer que uma Estrutura Organizacional está sempre ultrapassada e necessitando de mudanças. A Estrutura responde por uma estratégia e a estratégia por sua vez responde às mudanças do ambiente. Ora, se o ambiente está em contínua mudança, a estratégia também e por consequência deveria a estrutura também mudar. Porém, nenhuma empresa consegue viver sempre mudando e por isso ciclos de mudança/estabilidade são necessários. Mudamos, mas depois precisamos estabilizar as funções para ganhar eficiência na rotina até que não suportamos mais as mudanças externas e mudamos a estratégia/estrutura mais uma vez, e assim seguimos mudando e estabilizando. Se pararmos de mudar, ou estabilizarmos em ciclos muito longos (acima de 2 anos como uma média geral, sendo uma revisão anual aconselhável) é provável que aos poucos estamos definhando ou envelhecendo a empresa, afinal, ela passa a ser menos atrativa ao mercado.

Leia o artigo completo no Blog da Markestrat: http://www.markestrat.org/blog/a-import%C3%A2ncia-da-estrutura-organizacional-de-uma-empresa

Luciano Thomé e Castro - Especialista em Marketing, Canais de Distribuição e Administração de Vendas. Doutor em Administração pela FEA/USP. Mestre em Administração também pela FEA/USP. Administrador de Empresas pela FEA-RP/USP. Professor da área de Marketing da EAESP - FGV.

Outras Publicações